Videogame: seu impacto na atenção, percepção e funções executivas

Thiago Strahler Rivero, Emanuel Henrique Gonçalves Querino, Isabella Starling-Alves

Resumen


O videogame tem se tornado um meio de entretenimento cada vez mais presente no cotidiano das pessoas. Nos Estados Unidos, por exemplo, esse aparelho está presente em mais de 70% das casas e uma média de 30 horas semanais são gastas em jogos. As consequências disso, todavia, ainda são controversas. Pesquisas atuais sugerem uma possível relação causal entre o uso de videogame e maior desenvolvimento de diversas habilidades cognitivas. Entretanto questões metodológicas importantes necessitam ser avaliadas para uma melhor compreensão dos dados. O presente estudo tem por objetivo investigar, por meio de uma revisão sistemática, as evidências de um efeito positivo do videogame sobre as funções cognitivas. Resultados propõem uma melhora significativa da atenção, dos processamentos visuais e espaciais e das funções executivas, principalmente da memória operacional em jogadores de videogame. Os benefícios proporcionados pelo videogame na cognição levam à hipótese de que seu uso pode ser estendido para contextos clínicos. Em especial, seu uso para a reabilitação neuropsicológica pode aumentar o engajamento e os níveis motivacionais dos pacientes. Contudo, diversos desafios metodológicos ainda não foram superados e, assim, mais pesquisas são necessárias para a validação do uso do videogame como uma ferramenta para a reabilitação.

Texto completo:

PDF


https://www.ebsco.com     http://www.redalyc.org     http://pepsic.bvsalud.org     https://doaj.org     http://www.latindex.org     http://www.psicodoc.org     https://scholar.google.com