Efeitos do treinamento musical no cérebro: aspectos neurais e cognitivos

Ana Carolina Rodrigues, Mauricio Loureiro, Paulo Caramelli

Resumen


O interesse no estudo dos efeitos do treinamento musical no cérebro humano tem crescido de maneira significativa nas últimas décadas. Várias investigações têm indicado que os músicos possuem características encefálicas, estruturais e funcionais, que não são encontradas em não-músicos e que estão relacionadas com a idade de início dos estudos musicais. Tal reorganização plástica pode também produzir diferenças cognitivas entre músicos e não-músicos, como tem sido demonstrado em diversos estudos. Músicos constituem um grupo ideal de indivíduos para investigações relacionadas à adaptação cerebral, devido às suas experiências únicas e intensivas de treinamento. Este artigo apresenta uma revisão das recentes descobertas que mostram efeitos positivos do treinamento musical no cérebro, seja considerando aspectos neurais ou cognitivos. Tais investigações, além de contribuírem para uma melhor compreensão dos efeitos da prática musical no desenvolvimento e funcionamento de diversos sistemas neurais, subjacentes a várias capacidades cognitivas, podem ter implicações nas áreas de saúde e educação.

Texto completo:

PDF


https://www.ebsco.com     http://www.redalyc.org     http://pepsic.bvsalud.org     https://doaj.org     http://www.latindex.org     http://www.psicodoc.org     https://scholar.google.com