Procedimento complementar de análise do discurso conversacional por frequência de comportamentos comunicativos desviantes

Natalie Pereira, Lilian Hübner, Fabíola Casarin, Nicolle Zimmermann, Perrine Ferré, Yves Joanette, Rochele Paz Fonseca

Resumen


O processamento de discurso conversacional é uma das mais complexas tarefas humanas cotidianas, por sua alta demanda de controle cognitivo e de habilidades comunicativas, além de seu papel essencial nas relações sociais. A análise conversacional pode fornecer ao profissional da saúde importantes informações quanto ao perfil de funcionamento cognitivo de pacientes neurológicos e psiquiátricos, principalmente na clínica neuropsicológica. Historicamente a avaliação do discurso propunha-se a estudar quantificações que não representam as dificuldades reais dos pacientes, já que, na maioria dos casos, concentravam-se em número de palavras, orações, entre outros aspectos. Assim, o objetivo do presente artigo é apresentar a construção do Procedimento complementar de análise do discurso conversacional (PCDADC). Serão relatadas as cinco fases de criação e adaptações julgadas pelos juízes envolvidos (n=4), a partir da análise já oferecida no subteste Discurso conversacional da Bateria Montreal de Avaliação da Comunicação – versão abreviada – Bateria MAC Breve (MAC B), e no modelo teórico de Van Dijk sobre o discurso adaptado ao contexto conversacional de maneira online e constante. Além disso, será apresentado um estudo piloto para ilustrar a aplicabilidade do PCDADC, que teve como participantes n=2 juízas experts e n=20 participantes (20% pertencentes ao grupo clínico de traumatismo cranioencefálico e 80% pertencente ao grupo controle -participantes saudáveis). Por fim, serão comparados os resultados com a tarefa referência da MAC B. O protocolo final é composto por 44 itens que auxiliam a identificar a frequência de comportamentos desviantes, tais como: “Faz revisões ou auto-correções” (de 0 a 8 ocorrências) e “Repete palavras” (de 3 a 23 aparecimentos). Houve concordância de pontuação entre juízes de 83,59%. Este método complementar de exame do discurso pode contribuir com uma quantificação mais aprofundada dos comportamentos desviantes, auxiliando, assim, no diagnóstico funcional da avaliação neuropsicolinguística e no planejamento de tarefas mais específicas e efetivas na reabilitação comunicativa.
Palavras-chave: Neuropsicologia, discurso conversacional, produção discursiva, comunicação.

Texto completo:

PDF


https://www.ebsco.com     http://www.redalyc.org     http://pepsic.bvsalud.org     https://doaj.org     http://www.latindex.org     http://www.psicodoc.org     https://scholar.google.com