Perfil desenvolvimental das funções executivas utilizando o NEPSY-II em crianças de 5 a 8 anos

Priscila Magalhães Barros, Luana Reis Metta, Camila Tomé Peralba, Carolina Borba Vilar, Amanda Bernardo Guerra, Artemis Paiva de Paula, Nayara Silva Argollo, Izabel Hazin

Resumen


As funções executivas (FE) são um conjunto de habilidades cognitivas superiores especialmente relevantes diante de situações novas que exijam adaptação, como no contexto escolar. Ainda há pouca compreensão quanto às trajetórias de desenvolvimento de tais funções, além de carência de medidas desenvolvimentais adequadas para populações pediátricas. Nesse sentido, este estudo objetiva estabelecer o perfil desenvolvimental de componentes executivos na infância utilizando a bateria NEPSY-II. Trata-se de estudo correlacional, comparativo, transversal, de natureza predominantemente quantitativa. Foram avaliadas 80 crianças entre cinco e oito anos, de ambos os sexos, estudantes de escolas públicas e particulares da cidade de Natal. A amostra foi segmentada em intervalos de seis meses. Os instrumentos utilizados são os subtestes do domínio “Atenção/ Funções Executivas” que avaliam atenção seletiva, controle inibitório motor e cognitivo, categorização, flexibilidade cognitiva, organização e planejamento. Foram realizadas análises de variância multivariada e univariada e testes post hoc (Tukey e Games-Howell) para verificar o efeito das variáveis sexo, idade e tipo de escola sobre o desempenho nas tarefas. Identificou-se diferença significativa do tipo de escola nas tarefas que avaliam controle inibitório e categorização. A ANOVA de uma via foi significativa no intervalo de seis meses para a melhora no desempenho nas tarefas que avaliam atenção auditiva e inibição. A avaliação da flexibilidade, especialmente nas tarefas que exigem a manutenção de duas ou mais regras, apresentou notável variabilidade. Para essa função, observa-se longa trajetória de desenvolvimento, representada por uma curva ascendente e ausência de pico em todas as faixas etárias. Os demais componentes possuem diferenças significativas apenas entre os extremos da amostra. Foram identificadas correlações significativas entre todos os subtestes, o que sugere que as habilidades avaliadas fazem parte da mesma função superior. A compreensão do desenvolvimento das FE pode auxiliar na identificação de fatores preditivos na aquisição da leitura, escrita e habilidades aritméticas.
Palavras-chave: avaliação neuropsicológica; desenvolvimento típico; funções executivas; infância; NEPSY-II.

Texto completo:

PDF


https://www.ebsco.com     http://www.redalyc.org     http://pepsic.bvsalud.org     https://doaj.org     http://www.latindex.org     http://www.psicodoc.org     https://scholar.google.com