Evidências de validade de critério do Inventário Dimensional de Avaliação do Desenvolvimento Infantil para rastreio do Transtorno do Espectro do Autismo

Juliana Rodriguez Miranda, Mônia Aparecida Silva, Euclides José de Mendonça Filho, Denise Ruschel Bandeira

Resumen


O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é uma condição neurodesenvolvimental caracterizada por déficits significativos em habilidades sociocomunicativas e pela presença de interesses restritos e comportamentos repetitivos e estereotipados. De acordo com os critérios do DSM-5, os primeiros sintomas podem ser observados antes dos 36 meses de idade. Avaliar os marcos do desenvolvimento infantil permite observar detalhada e precocemente habilidades sutis que podem estar prejudicadas desde os primeiros meses de vida. O Inventário Dimensional de Avaliação do Desenvolvimento Infantil (IDADI) é um instrumento de avaliação multidimensional do desenvolvimento de crianças a partir do relato parental, e dividido em sete domínios teóricos de habilidades: Cognitivo, Comunicação e Linguagem Receptiva e Expressiva, Motricidade Ampla e Fina, Socioemocional e Comportamento Adaptativo. Este estudo objetivou investigar evidências de validade baseadas na relação com critério e de sensibilidade e especificidade do IDADI comparando grupos com e sem TEA. Participaram 31 mães de crianças com TEA (26 meninos, 83,9%) e 54 mães de crianças sem nenhum tipo de diagnóstico (45 meninos, 83,3%). Os dados relacionados à idade e sexo da criança, escolaridade da mãe e renda familiar foram pareados entre os dois grupos. Nas análises multivariadas de variância, o diagnóstico apresentou grande tamanho de efeito nos domínios de Comunicação e Linguagem Expressiva (d = 2,7), Receptiva (d = 2,6), Comportamento Adaptativo (d = 2,5), Socioemocional (d = 2,2), Motricidade Fina (d = 1,7), Cognitivo (d = 1,6) e Motricidade Ampla (d = 1,5). Os índices de sensibilidade e especificidade foram favoráveis ao uso do instrumento na identificação de crianças com suspeita de TEA nos domínios relevantes ao diagnóstico. Salienta-se que as evidências preliminares de validade encontradas neste estudo favorecem o uso do IDADI como um instrumento de avaliação do desenvolvimento de crianças com TEA.
Palavras-chave: Desenvolvimento infantil, Transtorno do espectro do autismo, evidências de validade, sensibilidade, especificidade.

Texto completo:

PDF


https://www.ebsco.com     http://www.redalyc.org     http://pepsic.bvsalud.org     https://doaj.org     http://www.latindex.org     http://www.psicodoc.org     https://scholar.google.com