Estratégias de cópia da Figura Complexa de Rey por Crianças

Andreza Moraes da Silva, Eduarda Peçanha, Helenice Charchat-Fichman, Rosinda Martins Oliveira, Jane Correa

Resumen


A Figura complexa de Rey (ROCF) é um instrumento neuropsicológico clássico que recruta habilidades de planejamento e organização. Considerando-se que crianças desenham a figura de forma diferente dos adultos, o objetivo deste estudo foi comparar dois sistemas de pontuação qualitativa - Osterrieth e Developmental Scoring System for the Rey-Osterrieth Complex Figure (DSS - ROCF) – em termos de sua capacidade de descrever mudanças nas estratégias ao longo do desenvolvimento. Foram analisadas as reproduções de cópia do teste de 208 crianças de 7 a 13 anos, com desenvolvimento típico, de escolas que atendem as classes sociais C, D e E, classificação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (BGE), baseada na renda familiar. A classe A possui maior renda, enquanto a Classe E, a menor. A frequência das estratégias não foi igualmente distribuída em ambos os sistemas. Crianças mais novas empregaram estratégias menos elaboradas, as mais velhas, estratégias mais elaboradas. Entre 9 e 13 anos houve concentração de ocorrência da estratégia IV (Osterrieth) e do estilo intermediário (DSS-ROCF). O exame do emprego da Estratégia IV, cópia fragmentada, permitiu descrever diferentes formas de sua execução, segundo a sequenciação de cópia dos detalhes da figura. Observou-se que as crianças fragmentam a ROCF de formas diferentes. Algumas fragmentações seguem uma ordem lógica, outras ocorrem de forma idiossincrática, sendo as primeiras frequentes em crianças mais velhas e as outras em crianças mais novas. O exame da sequência seguida durante a cópia da ROCF pode contribuir para a compreensão da heterogeneidade observada no desempenho das crianças e adolescentes que empregam a estratégia IV de Osterrieth. Este resultado pode vir a permitir a identificação de modos diferentes de planejamento na ampla faixa etária em que esta estratégia ocorre, contribuindo, assim, para a avaliação das funções executivas e para a intervenção neuropsicológica para o desenvolvimento destas habilidades.
Palavras-chave: Funções executivas, testes neuropsicológicos, psicometria, figura complexa de Rey, sistemas de pontuação.

Texto completo:

PDF


https://www.ebsco.com     http://www.redalyc.org     http://pepsic.bvsalud.org     https://doaj.org     http://www.latindex.org     http://www.psicodoc.org     https://scholar.google.com